Você conhece seu intestino?

Doença celíaca é uma enteropatia autoimune, uma síndrome disabsortiva, ou seja, é como se o corpo se voltasse contra ele mesmo, mais especificamente contra o intestino, deixando a absorção dos nutrientes prejudicada.

O intestino faz parte do sistema digestório e é através dele que ocorrem as absorções dos nutrientes e da água.

O Sistema Digestório é formado pela boca, laringe, estômago e intestino.

A primeira parte do sistema digestório (estômago e intestino delgado) é responsável por obter do alimento ingerido os nutrientes necessários para o funcionamento do nosso organismo, enquanto a última parte (cólon e reto) é caracterizada por ser a parte do intestino na qual os movimentos peristálticos fazem maior pressão no bolo alimentar a fim de solidificá-lo e transformá-lo em fezes.

O intestino é dividido anatômica e funcionalmente em duas porções: grosso e delgado.

O intestino delgado é um tubo digestivo localizado entre o estômago e o intestino grosso, é a porção do sistema digestório responsável por absorver a maior parte dos nutrientes que ingerimos.

Anatomicamente, o intestino delgado conta com aproximadamente 6m de comprimento por 4cm de diâmetro, sendo dividido em três regiões distintas:


Ilustração: La Gorda / Shutterstock.com
  • Duodeno, localizado próximo ao estômago (cerca de 25 cm)
  • Jejuno (2,5 metros), é a parte central
  • Íleo (3,5 m), próximo ao intestino grosso

O duodeno está ligado diretamente ao estômago e vai até o jejuno. É nesta região que é trabalhado o bolo alimentar pela ação do suco entérico.

É no jejuno e no íleo que ocorre a absorção dos nutrientes, que passam para a corrente sanguínea e fígado para serem distribuídos para todo o organismo.

O intestino grosso é a porção final do sistema digestório e é o local onde as fezes são formadas. É nesse órgão que grande parte da água e sais minerais são absorvidos, alguns produtos são fermentados e o muco é formado. O muco tem a função de compactar a massa fecal e contribuir para o seu deslizamento.


Intestino grosso. Fonte: Netter, Frank H. Atlas De Anatomia Humana. Gen Guanabara Koogan. 7ª Ed. 2019.

Anatomicamente, o intestino grosso é mais calibroso e também é mais curto que o intestino delgado.  Geralmente, o intestino grosso possui 1,5 m de comprimento e 6,5 cm de diâmetro.

O intestino grosso é dividido em quatro partes principais: ceco, cólon, reto e ânus. O cólon é dividido em cólon ascendente, cólon transverso, cólon descendente e cólon sigmoide.

  • Ceco: é a parte inicial do intestino grosso.
  • Cólon ascendente: como o nome sugere, estende-se para cima e termina na superfície inferior do fígado, estando localizado do lado direito da parede abdominal.
  • Cólon transverso: como o nome indica, atravessa a cavidade abdominal. Ele segue logo abaixo do estômago, na direção da direita para a esquerda.
  • Cólon descendente: inicia-se perto do baço, está presente no lado esquerdo do abdômen e segue para baixo.
  • Cólon sigmoide: essa porção do cólon apresenta a forma de S.
  • Reto: é um canal localizado na região anterior do sacro e termina no ânus.
  • Ânus: local onde o sistema digestório conecta-se com o meio externo e as fezes são liberadas.

O intestino grosso não apresenta vilosidades como as que estão presentes no intestino delgado. É possível perceber no intestino grosso uma grande quantidade de células caliciformes, células enteroendócrinas e também células absortivas, as quais apresentam microvilosidades curtas e irregulares.

Na parede do intestino, estão presentes também células linfoides e nódulos. A riqueza dessas células está no fato do intestino grosso ser repleto de bactérias.

Funcionalidade

O estômago e o duodeno são separados por um esfíncter muscular chamado piloro, por onde o conteúdo estomacal é enviado ao intestino delgado para o início do processo digestório.

Quando o intestino delgado está cheio, ele começa a receber enzimas e sucos para começar a digestão, a bile (produzida pelo fígado e armazenada na vesícula biliar), o suco pancreático (produzido no pâncreas) e também o suco intestinal (produzido pela própria parede do intestino).

Os movimentos peristálticos (contrações) fazem com que o conteúdo vindo do estômago (quimo) se misture com essas substâncias, transformando-se em quilo. O nosso organismo absorve os produtos e nutrientes úteis para o corpo através das vilosidades e microvilosidades da parede intestinal. Vilosidades são pregas que aumentam a área de contato com alimento facilitando a absorção de água e nutrientes.

Funcionalmente, o processo digestório se dá predominantemente no duodeno e nas primeiras porções do jejuno, enquanto as porções mais inferiores e o íleo são responsáveis pela absorção dos nutrientes e algumas vitaminas vitais.

A parede do intestino é altamente vascularizada. Dessa forma, uma vez que os nutrientes são absorvidos pelas vilosidades, os vasos sanguíneos os transportam para o fígado através da veia porta e para a corrente sanguínea, a fim de alcançar todas as células do nosso corpo.

Referências

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: