Dermatite Herpetiforme

Foto por cottonbro em Pexels.com

Dermatite Herpetiforme (DH), também conhecida como Dermatite de Duhring-Brocq, é uma doença bolhosa rara com caráter crônico, hereditário, inflamatória, autoimune, com cursos de recidivas, ligada à hipersensibilidade permanente ao glúten. A DH não é apenas uma doença de pele, mas uma desordem intestinal cutânea, sendo a manifestação extraintestinal da doença celíaca mais recorrente. Pode manifestar-se em qualquer idade, mas apresenta-se prevalentemente entre os 20 e 40 anos de idade.

A Dermatite Herpetiforme (DH) é clinicamente caracterizada por erupções cutâneas que começam com forte prurido e sensação de queimação, apresentando lesões polifórmicas simetricamente distribuídas, pápulas eritematosas e placas urticarias e agrupamentos de vesícula ou bolhas tensas com crescimento centrífugo, cujo conteúdo pode ser seroso ou hemorrágico. As lesões são seguidas de erosões, escoriações e hipopigmentação residual ou hiperpigmentação.

As áreas mais afetadas são os cotovelos, ombro, região escapular, couro cabeludo, área da nuca, região sacral, nádegas, virilhas, face e as áreas extensoras dos membros inferiores (coxas e joelhos anteriores). Os casos de lesões na mucosa oral são incomuns, porém casos esporádicos de DH apresentando púrpura palmoplantar foram relatados.

O fator de gatilho ambiental para DH é principalmente representado pela ingestão de glúten. A exposição a UVB (raios ultravioleta) e trauma tem a capacidade de induzir a produção de IL-8 (citocina pró-inflamatória) induzindo o aparecimento de lesões cutâneas. Um evento emocional ou infecção podem desencadear uma nova recidiva ou piora da doença.

O diagnóstico da Dermatite Herpetiforme se dá através de exames físico histopatológico, testes sorológicos, porém a biópsia de pele perilesional examinada por Imunifluorecência Direta é considerada o padrão ouro para o diagnóstico

Os principais tratamentos da DH são a dieta sem glúten e a terapia medicamentosa com dapsona, sulfassalazina, sulfametoxipiridazina ou corticosteroides potentes (muito potentes) e anti-histamínicos.

%d blogueiros gostam disto: