Doença Celíaca

Doença celíaca é uma enteropatia autoimune que se manifesta na ingestão de glúten. Ela é uma síndrome disabsortiva, ou seja, é como se o corpo se voltasse contra ele mesmo, mais especificamente contra o intestino, deixando a absorção dos nutrientes prejudicada. A doença celíaca é uma patologia multi sistêmica, podendo atacar vários órgãos ou tecidos a depender de cada organismo.

A doença está bem associada a alguns polimorfismos genéticos. Os genes HLA, especificamente os alelos DQ2 e DQ8, representam uma predisposição genética, que associada à ingestão de glúten, pode desencadear a doença.

HLA é o antígeno leucocitário humano, responsável por apresentar peptídeos de dentro e de fora, como os DQs, para o sistema imune.

No caso da doença celíaca, os seus receptores ligam-se aos peptídeos de gliadina e os apresenta para os linfócitos T dando início ao processo de autoimunidade (reação em que o corpo ataca o próprio organismo).

Caso você tenha o polimorfismo, ao ingerir algum alimento contendo glúten, o seu corpo pode gerar uma resposta de rejeição a essa partícula, acarretando uma inflamação local e até a atrofia das vilosidades intestinais.

Existe uma classificação chamada “Marsh” para avaliar o quão atrofiadas estão as vilosidades do intestino após uma pessoa que tem doença celíaca consumir alimento com glúten e ela auxilia bastante no diagnóstico.


Vilosidades são essas projeções do tecido que ajudam a aumentar a área de absorção.

É até fácil de entender, né? Mas essa doença é bem complexa e pode até levar à morte.

Apesar de machucar diretamente o intestino, os prejuízos ocorrem em todo organismo. Afinal, temos uma barreira controlando tudo o que absorvemos, quando ela está danificada podem entrar corpos estranhos e até faltar nutrientes. Imagina só isso refletindo no corpo inteiro?

Por isso os sintomas são os mais variados possíveis!

Doença Celíaca ClássicaDoença Celíaca Atípica
Diarreia crônicaCiclo menstrual irregular
Dor de barrigaProblemas psiquiátricos
Barriga inchadaEpilepsia
Humor alteradoManchas nos dentes
Perda de apetiteDor nas articulações
AnemiaAftas
EmagrecimentoAutismo

Existem também os assintomáticos que não percebem a presença da doença, mas tem os exames alterados.

Caso você não detecte a doença a tempo ou não respeite a dieta, parando completamente a ingestão do glúten, os sintomas podem se agravar e levar ao desenvolvimento de câncer do intestino, leucemia, desnutrição profunda, doenças autoimunes secundárias, hemorragias, entre outros e até mesmo várias ao mesmo tempo, então lembre-se que doença celíaca não é brincadeira!

Diagnóstico

O diagnóstico de DC nem sempre é fácil de ser realizado. Estima-se que apenas 10% da população celíaca possui o diagnóstico fechado, ou seja, 90% dos celíacas sofrem com os sintomas e suas consequências sem conhecer a causa. Existem casos onde há dificuldade de diagnóstico por achados discordantes entre sorologia, clínica e histologia.

Os marcadores utilizados são os anticorpos antiendomísio (EMA), os anticorpos antitransglutaminase tecidual (anti-tTG IgA) e anticorpos antigliadina (AGA IgA) pois são sensíveis e específicos para o diagnóstico inicial de Doença Celíaca. O teste sorológico positivo sugere o diagnóstico de DC, mas a biópsia duodenal ainda é o padrão-ouro.

A Tipagem HLA é o primeiro passo para a investigação de familiares de pacientes com DC. Tipagem HLA exclui um terço dos familiares de primeiro grau e identifica indivíduos para avaliação com biópsia. O exame é indicado também se o indivíduo tem sorologia negativa e recusa-se a realizar a biópsia. O alelo HLA DQ2 é identificado em 90%-95% dos pacientes celíacos e HLA DQ8, na maioria dos restantes. A tipagem HLA também é útil para excluir a doença em pacientes que, inadvertidamente, já estejam em Dieta Sem Glúten ou para os indivíduos nos quais o diagnóstico não está claro.

Tratamento

O único tratamento para a doença celíaca é uma adesão ao longo da vida de uma dieta rigorosamente sem glúten.

Apesar da importância da dieta, segui-la pode ser bastante difícil, por isso é recomendado que o celíaco participe de grupos de apoio e tenha um monitoramento nutricional com um profissional da saúde especializado. Os pacientes devem ler cuidadosamente os rótulos dos alimentos e evitar ingredientes desconhecidos.

A doença celíaca não tratada pode levar a morte.

%d blogueiros gostam disto: